quinta-feira, 30 de abril de 2009

6+1 no STF

Consultando o Oráculo Supremo, li uma matéria que fala sobre os "empregados" do Ministro do STF Gilmar Mendes. São 6 outros ministros em atuação, que com ele são sete votos (na matéria, Fábio Campana esqueceu de mencionar César Peluso) mais o Ministro da Defesa, Nelson Jobim, pra dar uma mãozinha no que for necessário. Todos estes são professores do Instituto Brasiliense de Direito Público - IDP, de propriedade do senhor Mendes.

Hoje, esses ministros fizeram uma homenagem ao seu presidente: aqui.

Para mim, ignorante em direito, especulador, entendo isso como um atentado a ética. Ou no linguajar cotidiano, uma roubalheira da mulesta, uma troca de favores. Os Taturanas alagoanos devem amar o Gilmar (rimou!). Alguém nos comentários do site do Campana levantou a tese de que "eles", ministros, não estariam interessados num "carguinho de professor numa escola de pós-graduação", como se nós outros, brasileiros que todos os dias somos vilipendiados por essa "justiça" e pela outra dos coronéis, fôssemos idiotas pra não compreender a mensagem das entrelinhas (abaixo os clichês!).

Eu sentia uma certa simpatia pelo PT, até transformarem-na em indignação depois do Mensalão (rimou de novo) e de outras coisas que nem quero recordar. Esse país é phoda! (Com "ph" porque é phoda desde a época do escambo). Torço pelo ministro Joaquim Barbosa, pois ele se mostrou isento, imparcial quanto aos mensaleiros e naquele bate-boca da semana passada com o Mendes falou o que tantos gostariam de ter dito. Claro que ninguém é perfeito (outro clichê?!), o Barbosa faltou a algumas sessões importantes recentemente, hoje mais uma para fazer uma consulta médica.

Com o tempo descobriremos quem tem razão nessa história toda (mais um clichê...).

Lista dos ministros-professores:

Eros Roberto Grau
Marco Aurélio Mendes de Faria Mello
Carlos Ayres Britto
Carlos Alberto Menezes Direito
Cármen Lúcia Antunes Rocha
César Peluso
Nelson Jobim (ministro da defesa)

Link da matéria, que tem outro direto para o site do IDP: aqui.