quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Piadas

Nunca fui o que chamam de "cara extrovertido", embora esteja longe ser o "cara chato", eu sei rir com a galera. Minhas piadas não são decoradas nem inventadas, às vezes surge alguma coisa aqui, outra ali que diverte, a depender do público meu sarcasmo peculiar é bem aceito. Tento  manter o bom humor. Acho que as pessoas me acham um "cara simpático". Minhas melhores piadas, talvez as únicas, sejam essas aí:

Meu nome é a minha primeira melhor piada. Quando me perguntam ou digo meu nome, em geral, é comum o interlocutor espantar-se. "Como?". "Minervino". "Onde foram arranjar esse nome?!". E segue adiante a conversa. Somente pessoas da época dos meus ancestrais não se surpreendem. Mas antes que algum leitor pense que odeio meu nome, saiba que procede o contrário. Pra começar, meu nome tem história.

Minha idade é a segunda melhor. "26". "Com essa cara?!". Certo dia disseram que eu vivia no formol. Ninguém me chama de "senhor", exceto atendente de telemarkerting, telefonista ou garçom bem instruído. Fica muito difícil impor-se com cara de menino. Sou quase imberbe, isso deve ser em decorrência de algum gene caeté-sertanejo.

Não há como eu saber se alguém rirá após a leitura desse texto. Fica a mensagem: eu não sei contar piadas.

________________________
De volta do sertão, só agora começa 2011 para mim.

Um comentário:

Mari Monteiro disse...

Realmente, preciso desse seu formol.